Proibida Cópia =P


Tudo Sobre Aborto!
Tudo sobre aborto Layout by VICKYS.com.br

Legalizar ou não?

O Aborto no Brasil é uma questão delicada, pois como sabemos, mesmo não sendo legalizado, ocorre da mesma forma. As mulheres com baixo poder aquisitivo são as que mais sofrem, pois estão sujeitas a condições de higiene muito precárias para ser realizado esse processo. No nordeste em algumas cidades como Petrolina (PE) o aborto ilegal já é considerado o maior motivo de morte materna, segundo o jornal G1. Já as mulheres que tem acesso a alguns recursos, como o de ir para outro país no qual a prática seja permitida, com a finalidade de interromper a gravidez, correm menos risco. Essa situação é algo para ser pensando, já que as que engravidam e não possuem muitas alternativas, arriscam suas vidas e outras que possuem mais opções, abortam com maior facilidade. Devemos refletir, antes de formamos a nossa opinião, contra ou a favor, precisamos questionar sobre aspectos como esse.

Postado por Ada & Lu às 22h48
  | Encaminhar Este Post

Quem aborta?

Das mulheres que praticam o aborto no Brasil,tem idade entre 20 a 29 anos, 70%  possuem um relacionamente estável. Tem escolaridade, um filho no mínimo, e um pouco mais da metade afirmam ser católicas.  Conforme estudos baseados em dados e da união de 2135 trabalhos científicos elaborados nos últimos 20 anos.

Segundo o site da revista Claudia 9896 mulheres estão sendo investigadas pela polícia, pois poderiam ter realizado o aborto em uma clínica em Campo Grande. A ação foi determinada pelo juiz Aloísio dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. Para alguns, como a ministra Nilcéa Freire, essa atitude foi uma "fúria judicial" e queria saber se os pais dos bebês que foram abortados, também estariam sendo investigados. Outras tem a opinião de que se trata uma medida política, pois quando vira uma grande escala,  a pessoas dá lugar para o gênero.

Postado por Ada & Lu às 20h41
  | Encaminhar Este Post

 

Olá blogueiros, hoje tenho dois blogs para indicar, um aborda temas envolvendo o cristianismo. Há uma postagem sobre aborto lá bastante interessante: A postagem conta o caso da menina de 9 anos que foi abusada pelo seu padrasto e acabou ficando grávida de gêmeos. Os médicos optaram por fazer um aborto, já que se tratava de uma menina com apenas 9 anos, sem nenhum estrutura, nem psicologica e financeira... iria atrapalhar a sua infância. Como todos sabemos a igreja foi contra e excomungou a família da menina e os médicos. Quem se interessar por mais informações ai vai o endereço do blog: http://cristianismosemmaquiagem.blogspot.com/2010/04/breve-reflexao-sobre-o-aborto.html

O outro blog posiciona-se contra o aborto: o Vida Sim, Aborto Não. Suas postagens evidentemente defendem essa posição, envolvendo projetos de lei, deputados que também são contras a essa prática . Estou deixando aqui o endereço para quem tiver curiosidade: http://diasimdiatambem.wordpress.com/.

Postado por Ada & Lu às 14h33
  | Encaminhar Este Post

Bolsa Estupro

Foi denominado assim "Bolsa Estupro" por feminista o projeto da deputada Jusmari Oliveira (PR-BA) e do Henrique Afonso que oferece à mãe que não abortar quando ocorrer abuso sexual um salário mínimo todo mês, e só será interrompida quando o filho fizer 18 anos. A explicação da criadora desse projeto é de que a mulher não precisa passar por mais uma violência. 

Muitas pessoas consideraram que esse projeto não dá importância para o trauma que a mulher sofre com esse tipo de violência. O jornal do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cfemea) questionou se a mulher com um salário de R$415,00 irá conseguir superar o acontecimento e criar um filho sozinha.

 O Deputado do PT da Bahia, Luiz Bassuma quer interromper a distribuição pelo SUS e a venda em farmácias da pílula do dia seguinte. Onde, Conforme o Ministério da Saúde, na Bahia o aborto inseguro é o principal motivo de morte entre mulheres que engravidam.

Outro projeto é do bispo Rodovalho (DEM-DF) sua prosposta é criar um registro público para a gravidez. Se for aprovado, Todo e qualquer gestação, até mesmo as indesejáveis será registrada no cartório civil, assim o pais poderá ter estatísticas certas. Pela vontade do bispo, o pré-natal e o parto serão feitos somente se for apresentado o registro. A explicação é de que se garanta o controle de gestações e de abortos. 

 Fonte: www.claudia.abril.com.br

Postado por Ada & Lu às 20h51
  | Encaminhar Este Post

 

 

 

Espanha Avança na Lei do Aborto

Postado por Ada & Lu às 16h01
  | Encaminhar Este Post

 “Nenhuma mulher deve ser impedida de ser mãe. E nenhuma mulher deve ser obrigada a ser mãe”

 

Essa era a reivindicação de homens e mulheres, no dia 28 de setembro de 2009. Organizados por feministas, foram até a Praça da Sé, com faixas e bandeiras, refrões, eventos artísticos com a finalidade de lutar pela legalização do aborto. Segundo dados do SUS (Sistema Único de Saúde) no ano de 2005 foram realizados 1.054.243 abortos no Brasil. Entre 2002 e 2005, 697 mulheres falarecem devido a complicações deste método. A grande maioria são negras e com condicões financeiras desfavoráveis. Estima- se que entre os anos de 1995 e 2005, a cada 3 bebês que nascem, tenha ocorrido um aborto.

Esses dados serviram de inspiração para diversas manifestações que ocorreram contestando o fim da criminalização do aborto e por sua legalização, como essa que ocorreu em São Paulo na  Praça da Sé, a data e o local não foram denominados por acaso, foram de caso pensado. O data por ser o Dia Latino Americano e Caribenho de Luta pela Legalização do Aborto, fundado em 1990, após o o 5º Encontro Feminista Latino americano e Caribenho, realizado em San Bernardo, na Argentina. O Lugar, por ser um local de lutas, simbólico de São Paulo.

Os organizadores afiram que a luta pela legalização do aborto necessita de mais auxílio e ajuda. Para os organizadores o aborto no Brasil é uma questão simbólica, pois as áreas que se denominam "pró-vida" estão cada vez mais fortes e articuladas. Como o caso ocorrido no Mato Grosso do Sul, que mais de mil mulheres foram indiciadas após o fechamento de uma clínica que praticava abortos.

O Brasil será sede, em 2010, do Encontro Mundial de Legisladores e Governantes pela Vida, onde seu mais importante assunto será a luta contra a aborto. Contra isso, pesa a recente criação da CPI do aborto, que foi muito questionada e recebeu muitas críticas dos movimentos feministas e que, por enquanto, não está funcionando.

Isso significa para as organizações que tiverem participação, a possibilidade de mulheres determinarem sobre seus próprios corpos e poderem escolher o seu futuro, mas isso se torna delicado por vivemos em uma sociedade historicamente machista. Há uma grande hipocrisia em relação ao tema, pois o aborto é realizado, sendo legalizado ou não. Não há meios anticoncepcionais 100% seguros, afirmam organizadores.

Fonte: caros amigos

Postado por Ada & Lu às 21h09
  | Encaminhar Este Post

SITES PRÓ VIDA:

1 - Brasil Sem Aborto   
Campanha Nacional Pela Vida - Por um Parlamento em Defesa da Vida. O web site Brasil Sem Aborto colabora na eleição de 33 Parlamentares para o Congresso Nacional e reúne em manifesto diversas organizações pró-vida. Neste site você encontra a relação de parlamentares pró-vida por estado, uma série de artigos e notícias atualizadas sobre o tema. Entenda também sobre a legislação que regulamenta o tema.

2 -
Aborto.pt
Site de Portugal muito explicativo. História do aborto, feto, liberdade e direito, imagens, etc. 
 
3 -
Aldeia.pt
Apresenta muitas imagens, tanto de abortos, como do desenvolvimento embrionário.  Métodos de aborto, estudos científicos, casos verídicos e muito mais. Outro site de Portugal.
 
4 -
Aborto – AciDigital
Página da Agência Católica de Imprensa na América Latina.
Aspectos políticos do aborto no Brasil, mentiras e verdades sobre o aborto, DIU abortivo e outros.
 
5 - Web Ciência

Página simples, com informações sobre o que é o aborto, formas, países e a sua posição em relação ao aborto e algumas estatísticas.
 
6 - Marcela.

A anencéfala, que desafia contrariando tudo o que dizem os abortistas, ela insiste em permanecer viva. . .

7 - Aborto no Brasil 
Um grupo de discussão sobre o Aborto, para você participar por e-mail, no Yahoo Grupos.

8 - Juventude pela Vida
Excelente web site atualizado com o momento. Artigos, notícias, campanhas e muito mais. O Juventude pela Vida é um instituto liderado por jovens profissionais, universitários e secundaristas, que promove e defende a vida humana.

Postado por Ada & Lu às 17h26
  | Encaminhar Este Post

Olá, Resolvir publicar no nosso blog Tudo sobre aborto, essa entrevista com Zilda Arns (Forquilinha, 25 de agosto de 1934- Porto Príncipe, 12 de janeiro de 2010), que foi médica pediatra e sanitarista. Fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa, organismos de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dra. Zilda Arns também é representante titular da CNBB, do Conselho Nacional de Saúde e membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

“Sou absolutamente contra o aborto”


Entrevista com Zilda Arns

IHU On-Line – Em que a senhora fundamenta sua posição radicalmente contrária ao aborto?

Zilda Arns - Sou absolutamente contra o aborto. Em primeiro lugar, sou a favor da vida, e fundamento meu ponto de vista não somente na fé cristã, mas também na ciência e em aspectos éticos e jurídicos. Já está comprovado cientificamente que o feto é um ser humano completo, desde a sua concepção e, por isso, tem direito à vida, como defende o artigo quinto da Constituição Brasileira[1] e o artigo segundo do Código Civil[2]. Cabe ao Estado o dever de tutelar e proteger a vida do embrião ou do feto de qualquer ameaça, sob pena de violação dos direitos humanos.

Sou médica pediatra e sanitarista, com mais de 47 anos de experiência em saúde pública. Além disso, estou nos últimos 24 anos à frente da Pastoral da Criança (instituição que acompanha 1,9 milhão de crianças com menos de seis anos, em 42 mil comunidades pobres do país). Por isso, tenho a convicção de que medidas educativas e preventivas são as únicas soluções para o problema das gestações não desejadas. Tentar solucionar problemas, como a gravidez indesejada na adolescência, ou atos violentos, como estupros e os milhares de abortos clandestinos realizados a cada ano no País, com a legalização do aborto, é uma ação paliativa, que apontaria o fracasso da sociedade nas áreas da saúde, da educação e da cidadania e, em especial, daqueles que são responsáveis pela legislação no país. Não se pode consertar um crime com outro ainda maior, tirando a vida de um ser humano indefeso. É preciso investir na educação de qualidade, nas famílias e nas escolas.

É preciso, antes de tudo, refletir. Será que nos países em que esse e outros abortos são permitidos, os jovens e as mulheres estão mais conscientes e têm menos problemas? Esta e outras questões estão relacionadas na carta que enviei, no final de 1997, ao Congresso Nacional como apelo da Pastoral da Criança em defesa da Vida, e artigos publicados em revistas e jornais nos últimos anos. Antes de qualquer coisa, é preciso diminuir a desigualdade social e dar mais oportunidades, principalmente às mulheres mais pobres.

IHU On-Line – Como podemos formular a questão do estatuto do embrião, considerando sua implicação na questão do aborto?

Zilda Arns - O embrião é um SER HUMANO completo em fase de crescimento tanto quanto um bebê, uma criança ou um adolescente. Com a evolução das ciências da reprodução humana, mais especialmente nas últimas duas décadas, não há a menor dúvida de que a vida do SER HUMANO se inicia no momento da concepção. Não se trata de um amontoado de células. Quando se dá o encontro gamético, produz-se a primeira unidade da vida, que contém toda herança genética e todos os requisitos para caracterizar a vida. As novas tecnologias como o ultra-som, o monitoramento do coração do feto, a fetoscopia[3] e a histeroscopia[4], para acompanhar o que se passa no interior do útero, comprovam ainda que o feto resiste e se defende dos agentes externos, que porventura querem lhe tirar a vida. Para quem se interessar, pode confirmar essas informações assistindo ao vídeo Grito silencioso[5], que mostra as reações do feto em um processo de aborto induzido, realizado em um país onde a prática é permitida.

IHU On-Line – Como se caracteriza a abordagem ética do aborto?

Zilda Arns – Existe um princípio de injustiça nessa prática. Mais uma vez, ao invés de consertar o tecido social roto, querem jogar sobre a mulher o pesado fardo da injustiça social, oferecendo-lhe a oportunidade de abortar o filho que veio abrigar-se em seu ventre, filho esse que não planejou ou que foi concebido como conseqüência de um ato violento. Pesquisas da Organização Mundial da Saúde (OMS) et al, publicadas em 1994, comprovam que crianças mal tratadas, oprimidas, violentadas em seu primeiro ano de vida têm forte tendência a se tornarem violentas e criminosas. Portanto, há de se cuidar do ser humano, desde a gestação, e dar prioridade a atender às crianças pequenas, menores de seis anos, e, mais especificamente, às crianças menores de um ano, somando as forças das famílias, da sociedade e dos governos, para que o tecido social seja forte e preservado. A ética e a moral não são exclusivas da religião. Devem servir de guia para toda a sociedade, incluindo a ciência e a técnica. Não faltam cientistas, juristas e legisladores que, no exercício de seus mandatos e profissões, têm como objetivo maior a defesa e a promoção da vida, a serviço do bem comum.

IHU On-Line – O aborto é um problema que precisa de uma solução, ou ele pode ser uma solução?

Zilda Arns - Felizmente, muitas pessoas comprometidas com o bem-estar das mulheres optam por vestir a camisa da erradicação da pobreza, da miséria e da ignorância que as oprime, principalmente nos países mais pobres. Para gerar desenvolvimento e, por conseqüência, boas condições de saúde e de vida, é preciso investir em educação de qualidade e criar políticas públicas de assistência materno-infantil, de orientação aos adolescentes, às mulheres e às famílias, a fim de que elas tenham melhores oportunidades de estudo e de desenvolverem-se no futuro. A prática de abortos seria um retrocesso da saúde pública, que, ao invés de investir na qualidade de vida da população, passaria a reproduzir uma cultura de incentivo à morte, à violência.

IHU On-Line – Uma lei a favor pode ser a única resposta ao problema do aborto?
Zilda Arns - Sob o ponto de vista de políticas de saúde, seria muito mais humano e econômico à nação investir em qualidade de vida e melhor assistência à saúde do que investir contra o ser humano indefeso. Não se pode eliminar a pobreza por meio da eliminação dos pobres, assim como não se pode eliminar a violência de uma gravidez indesejada mediante outra forma de violência, como é o aborto. Tenho certeza de que nossos deputados e senadores não se deixarão seduzir pela cultura da morte e da corrupção e lutarão pelo respeito à vida e por melhor qualidade de vida para todos. Afinal, o Código Civil, no artigo segundo, afirma: “A personalidade civil do homem começa no nascimento com vida; mas a lei põe a salvo desde a concepção os direitos do nascituro”.

IHU On-Line – Como lidar com a mentalidade abortista, tão presente na sociedade, que banaliza a questão do aborto?

Zilda Arns - Feministas famosas, realmente comprometidas com o bem-estar das mulheres, com o evento das novas tecnologias e conhecedoras profundas do sofrimento humano, deixaram a bandeira do aborto e optaram pela bandeira da erradicação da pobreza, da miséria, da ignorância que oprime as mulheres, principalmente nos países em desenvolvimento. Lembro-me de médicos, tais como o Dr. Bernard N. Nathanson, M.D. co-fundador da Liga Nacional pelos Direitos ao Aborto nos Estados Unidos, e diretor da maior clínica abortista do mundo, responsável por mais de 75 mil casos desse tipo, converteu-se em defensor da vida, devido a um conhecimento mais profundo do ser humano, pelos avanços da ciência e dos aparelhos de tecnologia avançada. Dr. Nathanson convenceu-se da existência da vida humana desde o momento da concepção. Ele advertiu ainda sobre as estatísticas falsas de morte de mulheres em conseqüência de abortos clandestinos. A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) confirma não existir nenhuma pesquisa sobre esse assunto no Brasil, apesar de muitas vezes serem divulgados falsos dados remetendo ao nome da organização.

IHU On-Line – Podemos conciliar a autonomia e a liberdade da mulher com a vida e a defesa do embrião?

Zilda Arns - Trata-se de um princípio de convivência de dois seres humanos. O “outro” é o limite de nossa liberdade. Se a mulher tem direitos e deveres, eles não podem interferir ou impedir o direito à vida de outro ser humano, ou seja, o fato de ela ser gestante de um embrião não lhe possibilita qualquer ação que possa prejudicar a vida dele.

IHU On-Line – O que a senhora pensa sobre o plebiscito da descriminalização do aborto?

Zilda Arns - Hoje estou convencida de que o aborto não é matéria para entrar num plebiscito, porque não se pode votar pela vida ou morte de um ser humano inocente e sem defesas.

[1] Art. 5º: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. (Nota da IHU On-Line)

[2] Art. 2o: A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro. (Nota da IHU On-Line)

[3] Fetoscopia: Trata-se de um procedimento onde se associa a ultra-sonografia e a videolaparoscopia, com o objetivo de se visualizar diretamente o feto, no interior da cavidade amniótica. Esse procedimento também é conhecido como cirurgia endoscópica fetal. (Nota da IHU On-Line)

[4] [4] Histeroscopia: a Vídeo-histeroscopia é um método que oferece uma imagem direta, tridimensional dos órgãos internos sem que haja intervenção cirúrgica. A histeroscopia é método que já permite ao médico analisar diretamente a cavidade uterina da paciente e encontrar alterações que, sob outros meios, estariam quase ocultas. A técnica pode ser feita em ambulatório. (Nota da IHU On-Line)

[5] Disponível em:
http://www.silentscream.org/silentsc_port.html (Nota da IHU On-Line)

(Fonte:
http://www.unisinos.br/ihu)

Data Publicação: 24/05/2007


Postado por Ada & Lu às 16h34
  | Encaminhar Este Post

Opinião de quem é contra o aborto

Para a religião Católica o aborto é considerado a morte de um bebê que se encontra no ventre de sua mãe, ocorrida durante qualquer hora do processo do desenvolvimento do feto.

Anos atrás, a medicina dizia que os bebê não sofriam com a prática do aborto, mas quantos não sofreram, muitas cirurgias ocorreram e ocorrem sem a utilização de anestesia, até que a ciência desmentisse isso.

Conforme a tecnologia avança, ela nos permite comprovar ou desmentir nossas convicções. A ultrassom nos permitiu isso, ela provou e nos mostrou o sufoco e desesperado que o feto passo quando ocorre o aborto. O instinto de sobrevivência, antes mesmo de vir ao mundo.

  1. Desde 1839 a ciência reconhece que a vida humana se inicia na concepção. Não existem tratados de embriologia que neguem esse fato.
  2. Este embrião que está vivo, cresce com autonômia, tem sexo definido, é completo e se desenvolverá até a sua morte a partir de tudo o que já possui agora.
  3. Como todo ser humano o nascituro só precisa de três condições para seguir sua vida: oxigênio, nutrição e tempo. Retire algo e ele (e nós) morreremos. 
  4. A vida intra-uterina é apenas uma das etapas do desenvolvimento de um ser humano, assim como a infância, a adolescência, a idade adulta e idosa.
  5. Eliminar qualquer etapa significa encerrar as demais fases futuras de uma mesmíssima vida. 
  6. Se o feto não é algo, mas gente, pessoa humana, possui uma vida que o pertence e a mais ninguém, não pode ser disposto arbitrariamente portanto.
  7. Ainda que o nascituro esteja temporariamente dentro do corpo de sua mãe, ele não é parte deste corpo. Numa gestação temos duas vidas e dois corpos.
  8. 50% dos bebês abortados são mulheres, o que demonstra que o aborto não é instrumento de defesa feminino.
  9. Todo aquele que existe, incluindo os próprios defensores do aborto, vive porque teve acesso primeiramente a um direito à própria vida já estabelecido.
  10. Se cada ser humano advém de uma fase fetal, só podem existir direitos humanos se garantido primeiro o direito a própria vida. Nenhum direito pode existir para o homem se o homem não tem garantia nem de vir a nascer.

Fonte: http://www.mdig.com.br

 

No site Brasil Sem Aborto há uma lista de candidatos que são contra a essa prática, conhecidos como candidatos pró- vida. Os criadores e participantes lutam por essa causa baseados em dados científicos que provam que o começo da vida ocorre na fecundação. Quem estiver interessado em ver a lista, o site: www.brasilsemaborto.com.br .

Postado por Ada & Lu às 17h07
  | Encaminhar Este Post

Entrevista com o Ministro da Saúde José Gomes Temporão  para a Uol Ciência e Saúde, sobre a legalização do aborto no Brasil.

Postado por Ada & Lu às 14h16
  | Encaminhar Este Post

 

Olá,

Continuando o assunto sobre leis do aborto no Brasil, há um projeto de Lei nº 1.135/91 que que visa o fim da prisão de 1 a 3 anos para quem pratica o aborto, porém está sujeito a ser engavetado. Depois de ser renegado na Comissão de Seguridade Social e Família, espera uma resposta da comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania, onde as chances de ser aprovado são minímas, pois o deputado Eduardo Cunha (PMDB- RJ), membro da bancada evangélica é quem a preside, e considera o aborto um crime repulsivo.

Esse projeto tem como objetivo e implica na interrupção da gravizez por um médico até a 12ª semana de gestação sem precisar esclarecer os motivos e até a 20ª nos casos de estupro, quando coloca a vida da mãe em risco ou malformação e doença fetal grave. Porém o seu percurso é lamentável. Foi desenvolvido há 17 anos... no ano 1991, seus criadores são os deputados do PT Sandra Starling e Eduardo Jorge. Mais tardes sofreu modificações pela ex-deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), voltou mais uma vez para a gaveta. Em 2007 rotornou, envolvendo um projeto redigido por representantes do Executivo  Legislativo, Judiciário e de feministas, que foi levado à Câmara pela ministra Nilcéa Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres.

A ação clandestina provoca

25% dos casos de esterilidade
602 internações diárias por infecções
9% dos óbitos maternos

FONTE MINISTÉRIO DA SAÚDE

 

Enquanto esse projeto não é aprovado, o Ministério da Saúde vai procurando e estabelecendo outras formas. Segundo Adson França, diretor do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas da pasta, o país conta com 138 serviços de aborto legal. O ministério intensificou o acolhimento de mulheres que passaram por práticas inseguras, possui médicos e enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos,e o principal de tudo está dando uma atenção maior para o planejamento familiar. Remédios para se evitar a gravidez são distribuidos de graça, o anticoncepcional ( a pílula e injetável), a pílula do dia seguinte para casos especiais e Diu. O governo tem parceiria com 3,8 mil farmácias nos 27 estados para vender remédios com descontos de até 80% e banca cirurgias de laqueadura de trompas e vasectomia.

 

 Fonte: Claudia.abril.com.br

Postado por Ada & Lu às 15h50
  | Encaminhar Este Post

 

 

 

 

Olá pessoal,

Hoje falaremos sobre a regulamentação do Aborto no Brasil.

No nosso país o aborto é considerado como um crime contra a vida pelo Código Penal brasileiro. Como vimos no mapa acima só não é considerado crime nos casos nos quais a gravidez foi consequência de um estupro ou quando coloca em risco a vida da própria mãe.

Com tudo as nações que criminalizam o aborto são as que possuem pior desempenho social, há corrupção, violência e uma falta de consideração com a liberdade individual. Isso fica evidente quando observamos o mapa que o Center for Reproductive Rights (Centro de Direitos Reprodutivos), ONG com sede em Nova York, montou ao pesquisar as leis em 196 países e estados independentes. Ele possui cinco categorias– vermelho, vinho, laranja, azul e verde, começa com as leis mais duras e termina nas mais maleáveis. Indica que  O Brasil faz parte do bloco vermelho com 68 nações – as mais pobres –, onde vivem 25,9% do povo global.

O Brasil vem melhorando em diversos setores, mas continua empacando se legalização ou não o aborto. O fato é que em maio do ano passado o Projeto de Lei nº 1.135/91, que descriminaliza o aborto acabou perdendo na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), após de 5 horas intensa de debate, 33 parlamentares permaneceram do lado do relator Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), que, mantém a interrupção da gravidez como crime, com pena de um a três anos de reclusão.

Foram apresentados 15 projetos para ser aprovados na Câmara e no Senado, e 13 desses 15  se forem aprovados o quadro pode piorar ainda mais. Um desses projeto proibe até quando a gravidez é resultante de estupro ou coloca a vida e a saúde da mãe em risco.

Quem é contra o aborto, e acredita que jamais fará uma coisa dessa na sua vida e até quem é a favor, deve refletir e discutir sobre esse tema... já que mesmo com a proibição, não impede que o aborto seja praticado por aqui, acreditão que seja feito por ano 1 milhão de abortos e que 220 mil levam a morte, infecções graves, perfurações no útero.

Fonte: http://claudia.abril.com.br/


 

Postado por Ada & Lu às 17h55
  | Encaminhar Este Post

 

Olá blogueiros e leitores.

Nosso blog, falará sobre um assunto que sempre causou polêmica e gera muita discussão... o Aborto. Falaremos sobre a visão desse tema do aspecto católico e da lei, mostraremos estátisticas, depoimentos de pessoas que viveram isso,vídeos relacionados ao assunto, daremos uma explicação sobre o que é o aborto, os tipos, métodos de prevenção, curiosidades, as causas e como o assunto é tratado no Brasil e nos diversos países.

Para começarmos que tal uma explicação, como foi já prometido?

Aborto é a retirada, a expulsão antecipada de um embrião ou feto do útero e como consequência disso a sua morte. Ela pode ser espontânea ou artificial. Quando se trata de um aborto espontâneo, isso pode acontecer devido a complicações do próprio feto, ou por problemas de saúda da própria mãe. Diversas mulheres acabam descobrindo na grávidez que sofrem de determinadas doenças, pois nessa fase muitas doenças aparecem e acabam complicando a grávidez  e até mesmo levando ao seu término.

No caso do artificial, ocorre por opção, que quanto mais tempo de gestação a pessoa tiver, mais riscos ela corre. Muitas mulheres acabam morrendo por recorrerem complicações em clínicas clandestinas ou por optarem por utilizarem meios que colocam a sua própria saúde em risco. os métodos utilizados são:

  • A sucção ou aspiração;
  • A dilatação e curetagem;
  • A dilatação e expulsão;
  • Injeção de soluções salinas.
  •  

    Postado por Ada & Lu às 14h21
      | Encaminhar Este Post

    As donas

    Ada Maiana, 19 anos, faz aniversário dia 21 de junho, namora há quatro anos o Neto, gosta de chocolate, viajar, conversar,música,torce para o Santos; Luciana Pandolfi, 18, faz aniversário dia 18 de maio, solteira, torce para o Corinthians. Futuras publicitárias

    The blog

    O Tudo sobre aborto nasceu com a proposta do professor Paulo Camargo de criar um blog com um tema de opinião pública. O tema escolhida como é evidente, é o aborto. Discuteremos sobre vários aspectos, e é claro aceitaremos sugestões.

    Calendário

    Votação

    [Avalie Este Blog]

    Indique Este Blog

    [Clique Para Indicar]

    Visitas

    Créditos

    [ Layout ]
    VICKYS.com.br
    VICKYS.com.br

    [ Powered by ]